“Todos os cêntimos contam”

“O discurso de “sempre fiz assim” ou “sempre resultou” já não faz sentido, está a fazê-lo perder tempo e dinheiro, está a levá-lo pelo caminho do fim da sua atividade.”

Data

Agricultura 4.0, a digitalização como caminho para a eficiência

 

Mas que eficiência procuramos? A eficiência de fazer mais com menos, o conseguir otimizar o resultado com menos recursos. Mas para isso será necessário conhecermos o que temos, entrando aí a arte da Engenharia, o perceber e analisar para uma melhor tomada de decisões. Voltando à palavra-chave, eficiência, como a podemos calcular? Existem diversos caminhos, no entanto, como zootécnicos uma das primeiras questões a colocar é “quanto custa, afinal, produzir 1kg de carne?”, “1L de leite?”. Apesar de muitos passos já terem sido dados existe, ainda, um grande caminho a percorrer. Continuamos a ter produtores que não nos conseguem dar uma resposta imediata, pela complexidade de determinar o valor ou mesmo pela simples falta de organização. Mas sugiro que o faça, tem de o fazer já. Necessita de informatizar todos os dados, todos os parâmetros zootécnicos, tem de digitalizar a sua exploração. O discurso de “sempre fiz assim” ou “sempre resultou” já não faz sentido, está a fazê-lo perder tempo e dinheiro, está a levá-lo pelo caminho do fim da sua atividade.

 

Se continuarmos a fazer o que sempre fizemos, continuaremos a obter os resultados que sempre tivemos.”

 

A atualização deve ser constante. Acompanhar a evolução é imprescindível a todos os níveis, produzindo mais com menos: mais kg e litros de alimento com menos solo, menos água, menos energia, menos desperdício. Vivemos no tempo de “todos os cêntimos contam”. A Zootecnia de precisão e digitalização da produção agropecuária são a chave do progresso. É essencial caminhar neste sentido, uma vez que as vantagens são várias e a diferentes níveis. A nível ambiental observam-se ganhos com a utilização de sistemas de aproveitamento de água, sensores de emissões de gases e alimentação individualizada. O bem-estar animal, cada vez mais valorizado, é verificado com ambientes e nutrição extremamente controlados e adaptados às necessidades individuais e diárias. A automação oferece aos colaboradores da empresa, disponibilidade para um trabalho mais técnico e de partilha de conhecimento. Como resultado de todos os parâmetros anteriores observamos maior eficiência traduzindo-se em ganhos económicos.

Como referido, a Zootecnia de precisão, nomeadamente a aplicação de sistemas por visão computacional e algoritmia permitirá através do tratamento de imagem, não só a recolha e análise de parâmetros zootécnicos (IC, GMD, entre outros) como, também, a avaliação do bem-estar animal. Tudo isto, carregado e automaticamente analisado, permitirá ao produtor avaliar e tomar as melhores decisões para melhorar o processo de produção. Para além disso, os sistemas de alerta e monitorização de parâmetros físicos e químicos, em tempo real, acessíveis através de um telemóvel, tablet ou computador, levar-nos-á à já existente Agricultura 4.0. 

Autora convidada:
Telma G. Pinto
Secretária-Geral da Associação Portuguesa de Engenharia Zootécnica

Outros artigos