Como Rui Lynce aumentou a rentabilidade do seu efetivo com o Wezoot

"Permite-me reduzir custos e mão-de-obra, e também a probabilidade de existirem erros"

Data

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Como Rui Lynce aumentou a rentabilidade do seu efetivo

Rui Lynce, responsável da Herdade Couto dos Carvalhos, em Idanha-a-Nova é um dos maiores produtores de ovinos a nível nacional e um pioneiro na utilização do Wezoot para fazer a gestão do efetivo, com uma manga de separação automática de ovinos.

Este sistema já permitiu um aumento de rentabilidade a vários níveis:

Redução de 30% em custos de alimentação
Possibilidade de satisfazer necessidades nutricionais a grupos com necessidades específicas.

Melhoria de 80% na confirmação de existências
Possibilidade de conferir localmente os animais existentes.

40% de aumento da fertilidade média
Possibilidade de monitorizar animais consoante a fase do ciclo reprodutivo, o que se traduz numa melhoria da eficiência reprodutiva.

 

Leia aqui a reportagem realizada pela revista Ruminantes:

A TECNOLOGIA NA EXPLORAÇÃO

Uma manga de maneio, um programa de gestão desenhado à medida, e a identificação eletrónica dos animais, são as ferramentas tecnológicas que Rui Lynce não dispensa para o ajudar na gestão.

“As minhas raízes estão na produção de equinos onde se trabalha em pequena escala, com 30, 40 animais. Quando tenho um desafio com 3000 animais, preciso de tecnologia para saber o que se está a passar. Permite-me reduzir custos e mão-de-obra, e também a probabilidade de existirem erros, já que se bem programadas as máquinas não erram.”

Foi este desafio que levou Rui Lynce a decidir pela aquisição duma manga Gallagher à Agrovete: “Para as pesagens, ou quando preciso de fazer uma intervenção para separar os animais em grupos com diferentes critérios: parir, vacinar, com resultados negativos na ecografia… esta tecnologia permite-me um milhão de opções. Na prática, ajuda-me a saber os animais que parem e os que não parem, os que parem e o animal se vende, ou os animais cujos filhos aproveitamos para recria. Por exemplo, eu aqui quero aumentar o número de animais por parto. No cruzamento industrial, o objetivo é ter dois borregos por ovelha sem aumentar os custos com alimentação e mão-de-obra. Estes cruzamentos que fazemos têm muita rusticidade de Merino e a parir a dois facilmente afilham os dois filhos. No nosso sistema, as ovelhas parem, são postas num parque e ficam um dia em vigilância; depois passam para um parque onde estão três dias para ver se desafilham ou não, e depois juntam-se ao grupo. Faço grupos de parições de 15 dias. Isto permite-me reduzir mão-de-obra a separar os borregos para os grupos de venda. Temos brincos com cores consoante os grupos, em que cada animal tem um número que permite através do software associar o borrego à mãe. Por vezes, há algum borrego que não atingiu o tamanho necessário e aí passamo-lo para outro grupo. Mas só de olhar para ele, pelo brinco, já sabemos que vem de um grupo anterior.

Quais as principais características deste equipamento? É uma manga que permite a presença de apenas um operador desde que os animais já estejam habituados pelo maneio. Esta manga tem também um comando à distância que facilita bastante e reduz o stress dos animais e a mão-de-obra. Sou fã da marca, acho que tem uma enorme qualidade e resistência: já vi vídeos onde se vêem carros a passar por cima destes equipamentos, em que os põem no meio do fogo, e eles continuam a funcionar.

 

Utiliza o Software Wezoot. Porquê?

Em primeiro lugar, porque fala a nossa língua: é português, feito em Portugal. Tem uma boa assistência porque tem uma equipa de programadores atrás disto a tempo inteiro. Tenho o telefone direto dos programadores que me vêm visitar uma vez por ano para compreenderem o maneio e conhecerem a realidade, para poderem ajudar quando existe um problema. Neste programa, consigo acompanhar tudo o que diz respeito a reprodução, crescimento, sanidade, consigo exportar dados para excel, e interagir com a plataforma do IFAP. Eu uso bastante, mas acho que não utilizo nem 10% do potencial deste software. Tem ainda um perfil para carne, para leite, e um para quem só faz raças puras onde podemos introduzir o livro genealógico e dar nomes aos animais. É um software sempre em atualização conforme as necessidades dos produtores.

Conseguiu reduzir custos com a utilização deste software?

Para começar, reduzi duas pessoas de mão-de-obra. E aumentei o número de partos. Tenho a certeza que o investimento já está pago.

 

Leia a reportagem na integra aqui > https://issuu.com/dsportugal/docs/reportagem_rui_lynce_wezoot_organiz